“Moradia Retomada” completa um ano sem acordo com a USP

Jornal do Campus (online)
05/04/2010, 18:00

“Moradia Retomada” completa um ano sem acordo com a USP

por Cleyton Vilarino

A “Moradia Retomada” completou um ano de mistério e conflito com a Coseas, exigindo vagas para todos os estudantes que precisem de mora­dia. Nem um mandato de reintegração de posse resolveu a situação. No local, vivem cerca de 40 estudantes em seis vagas planejadas para 18 alunos, mas segundo uma das moradoras, as seleções estão abertas este ano.

O JC tentou durante oito dias contato com um dos moradores da “Moradia Retomada” para acompanhar a rotina dos estudantes, mas não con­seguiu entrar no local. As poucas informações que foram passadas para a reportagem, foram con­tadas sob a condição de que não fossem publica­das, exceto as denúncias. Entre elas, a de que o novo bloco terá vagas apenas para os estudantes que já moram nos antigos blocos do Crusp e de que os quar­tos teriam apenas 1,5m². Além disso, os moradores também acusaram a Co­seas de não entregar os imóveis em maio, como está previsto.

377_moradiaretomada.jpg

Rotina dentro da “Moradia Retomada” ainda é um mistério para muitos estudantes (foto: Mariana Queen)

Respostas da Coseas

Segundo o coordenador da Coseas, Waldyr Antô­nio Jorge, o Bloco A1 será, sim, inaugurado no final de maio e os quartos de cada apartamento pos­suem 2m x 3,5m (mais que o dobro do afirmado pela “Moradia Retomada”). Serão selecionados tanto os estudantes que já pos­suem vagas quanto os que ainda não as têm. “Não há planos de discriminar ninguém. Minha política é de transparência total”.

Sobre as acusações de controle da rotina dos es­tudantes, Waldyr ressalta que a acusação não pro­cede. “Não faz sentido eu querer saber com quem fulano está andando ou deixando de andar. Isso não existe!”, afirma. Se­gundo o coordenador, o que acontece são registros de incidentes de dentro do conjunto. “Se alguém está desmaiado no ele­vador, isso precisa ser registrado para segurança dos próprios moradores”, explica. ”Eu não acho que temos que ter um contro­le policialesco. Tem que ter um compromisso da respeitabilidade”.

Nos papéis expostos em frente à Moradia Reto­mada, que confirmariam o controle da rotina dos estudantes, de fato estão registradas ocorrências que envolvem festas e pessoas em “estado alterado”.

Vagas abertas

As previsões de aten­dimento da Coseas para 2011 é de que todas as demandas dos alunos com necessidade de ur­gência sejam atendidas. Já os alunos que não se inscreveram na Coseas e optaram pela Moradia Retomada, Waldyr diz que não tem como ofere­cer vagas. De acordo com ele, é comum os alunos que não possuem ligação com a USP pedirem vagas na Coseas após saírem da Moradia Retomada. “Já encontrei aluno que era da PUC e que estava morando lá”.

VER

Add a New Comment
or Sign in as Wikidot user
(will not be published)
- +
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License