Comentários dispersos
1984-002.png

USP recebe bixos como animais

Ontém, 01 de março de 2011, nós, moradores do CRUSP e da Moradia Retomada (parte autônoma do CRUSP), fizemos um protesto no prédio invadido pela COSEAS (onde funciona hoje sua "Administração") para pedir a seu diretor-ditador Waldyr Antônio Jorge, mais conhecido como o "Três Caras de pau", a entrega de 12 colchões aos calouros que hoje estão dormindo no chão. Como sempre, o ditador-diretor Waldyr, CHEFE da Divisão de Assistência Social da USP negou-se a entregar os colchões solicitados, alegando razões políticas para negar o pedido. Afirmou ainda, orgulhosamente, o dito ditador, que no ano passado a COSEAS teria economizado 4.000.000 reais, ou seja 4 milhões de reais, como exemplo de sua boa administração. Ora, 12 cochões custariam, no máximo 2.000 reais dessa quantia, míseros 0,05% da quantia economizada. Mas o tenente Waldyr prefere ver os alunos da USP que necessitam de assistência social dormirem no chão como animais, talvez como forma de estimulá-los a deixar a Universidade diminuindo assim a demanda pelos serviços da COSEAS.

Incompetência da COSEAS

Não bastassem as denúncias de corrupção, espionagem e a violação de diversos direitos constitucionais, a atual coordenação da COSEAS é de extrema incompetência administrativa. Prova disso são as enormes filas nos restaurantes por ela administrados — filas que só aumentam, ano após ano — e o próprio site da COSEAS, que parece ter sido criado no milênio passado. Pergunta: onde a Sr. Rosa enterrou os milhões de reais que são repassados anualmente para a COSEAS?

COSEAS usa e-mail institucional

As assistentes da COSEAS estão usando o e-mail institucional da USP — que deveria ser usado para transmissão de informações acadêmicas — para fazer sua propaganda contra a OCUPAÇÃO, incitando os alunos a retomar os "seu" espaço no Bloco G. Como é que as "Assistentes Sociais" tiveram acesso às contas de e-mail dos alunos, se o local de trabalho delas está ocupado? Alguém poderia explicar?
(Leia aqui a carta de resposta à COSEAS redigida por um dos alunos que receberam o tal e-mail.)

Ocupação na New Scholl

Estas duas fotografias são para aqueles que acham que "ocupações" só acontecem por aqui:

102247.jpg
102245.jpg

São fotografias tiradas durante a recente ocupação da New School University, em Nova York.

Programa de Controle Social de Massas? A USP tem, claro.

Diego de Itu

AMORCRUSP mantém anos de conexão e esforços coletivos, ocupa a COSEAS-USP e põe a publico programas de controle comportamental de massas. Nos mantendo conectados à parada e, o porque disso ser importante, é que é MUITO BOM chegar lá de buenas rever amigos e descobrir que realizaram um sonho antigo.

E é muito bom também ver que os ativos são firmeza, tão respeitando a história de todo mundo e estão fazendo a deles.

Saca? Pô, gosto, muito, do estilão antigo do CRUSP! Ninguém aprende muito sentado 5h ouvindo palestra de professor mesmo, que se expandam os métodos de ensino, sem essa de só "atualizar".

eheheh e ocupação ensina muito!

Informação é o centro de tudo, viram a sala Santander(?), e tudo o que a galera apontou como motivos da ocupação eles têm como demonstrar em papéis reais. Muitos anos, muitos humanos mesmo. Mas agora está ficando muito mais claro, arquivos abertos, eles não conseguem convencer ninguém

Comentário de um leitor ao artigo "Estudantes mantêm ocupação em prédio da USP para reivindicar" da Folha Online

Sempre foi a mesma questão: em SP há uma educação para os ricos e outra para os pobres.
Explico: o CRUSP é alojamento para o aluno mais carente, então sempre foi tratado pela USP (leia-se Governo do Estado) como algo não-prioritário. Todos que já estudaram lá sabem disso, pois basta ver como estão os prédios.

Então, o Governador que quer ser presidente não está interessado em tratar bem suas escolas públicas de ensino médio (vide a atual greve) e nem os pobres que tiveram a felicidade de entrar na nossa universidade estadual.

Ainda bem que na USP os grupos de alunos dos Centros Acadêmicos sempre foram bem politizados e não costumam a deixar as coisas do jeito que estão.

Mas se bobear, Serra manda de novo sua PM bater neles. Afinal, os parentes dele, do Dimenstein e de outros "mauricinhos", estudam em escola particular…


40 anos depois não é mais preciso invadir a USP

publicado originalmente no Blog da Ocupação

No dia 17 de dezembro de 1968, quatro dias após o AI5, o exército invadia o Crusp, prendendo aproxidamente 800 estudantes. Esse é um dos fatos cruciais na história da USP; no entanto, no mês de dezembro de 2008, o Jornal da USP não dedicou uma linha sequer a esse episódio. Poder-se-ia creditar a um lamentável esquecimento. Mas não é. Muito do valor simbólico que a Universidade de São Paulo carrega deve-se ao seu passado, à resitência frente à Ditatura Civil/Militar instalatada após 1964; no entanto, atualmente, para reitores, diretores, gestores de uma forma geral, importa lucrar com esse valor simbólico, mas jamais atualizá-lo como algo existente, capaz de inspirar novas gerações. Não nos esqueçamos que hoje vivemos a deliberada tentantiva de docilizar o Movimento Estudatil, e como este ainda resiste a comportar-se bovinamente, estão criminalizando-o pelo simples fato de exigir respeito aos princípios que devem nortear uma universidade pública.

40 anos depois não é mais preciso invadir a USP, ela está tomada pelos interesses particulares de um poucos, que se fazem representar pelos gestores universitários.

A coerção agora é mais sutil e mais barata.


OCUPAÇÃO COSEAS

18.3.10

http://barataeletrica.blogspot.com/

O COSEAS, servico de assistencia social da USP, foi ocupado nesta madrugada, vide
http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2010/03/467589.shtml

Alguns podem chamar de invasão mas se trata de espaço público. Então os ocupantes preferem o termo "ocupacao", já que sao os estudantes que estão ocupando.

Que que isso tem a ver com o blog? Bom, eu ja morei no CRUSP. Escrevi um livro em formato PDF, "O crusp visto por um mineiro", disponivel no http://www.crusp.cjb.net que conta mais ou menos sobre a vida no conjunto residencial da Universidade de Sao Paulo.

Quando houve a ocupação da Reitoria, a imprensa publicou varias noticias tendenciosas, verdadeira desinformação sobre o movimento de ocupação. Entao provavelmente isto se repetirá e a imprensa vai voltar a falar mal dos ocupantes do Coseas. Até ai não dei opinião nenhuma. Não visitei a ocupação ainda. O que eu posso dizer é que se nao houvesse ocupações anteriores, como a que presenciei (e era da comissão da associação de moradores que organizou a ocupação) nao haveria espaço de moradia para os estudantes como existe hoje. Isso é fato.

Eu nao sei o que esta acontecendo agora no crusp, não moro mais lá. Mas se alguem for ler os jornais e se basear nas notícias dos jornais sem ter conhecimento do assunto, pode estar simplesmente ajudando a divulgar versões que não condizem com a verdade.

É muito complicado ser estudante, sair de sua terra natal, alguns vem de tão longe quanto Amapá ou Roraima, e ter problemas com moradia em SP.

Muita gente que morou no CRUSP hoje é gente que realmente esta fazendo diferenca para o país. A moradia estudantil ajudou.

Outros links
Coseas Ocupada
http://coseas-ocupada.wikidot.com/
Blog do Calc
http://blogdocalc.wordpress.com/2010/03/18/estudantes-ocupam-a-sede-do-coseas/
Folha
http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u708741.shtml

Adicione um comentário

Add a New Comment
or Sign in as Wikidot user
(will not be published)
- +
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License